Pages - Menu

segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Seja responsável ao adotar!

    Às vezes é preciso quase que desenhar para as pessoas entenderem o real compromisso que é ter um animal. Quando dizemos que os animais são como filhos, não queremos que você humanize seu gato ou seu cachorro, apenas que você entenda que amor, cuidado e respeito não é algo que nasce com a paternidade/maternidade, é algo que nasce com convivência, carinho e atenção.
         Alguns gatinhos que foram adotados no Viva Gato foram devolvidos após dias, meses e até anos, e alguns deles pelos motivos mais absurdos possíveis, e isso nos motivou a escrever esse texto. Será que as pessoas esquecem que os animais são seres vivos que têm sentimentos e vão sofrer com a separação? Muitos estudos científicos já provam a inteligência e sensibilidade dos animais.

A Purpurina foi devolvida ao Viva Gato e ficou quase um mês deprimida. Não queria
sair do quarto e nem comia direito. Agora ela está bem melhor e aguarda uma nova chance.
       
       Sempre que doamos um gatinho somos muito rigorosos na triagem, fazemos várias perguntas e somos exigentes em relação ao espaço que o animal vai ficar. Mesmo assim, infelizmente algumas vezes erramos na escolha dos adotantes. Mesmo com orientação e acompanhamento alguns gatos voltam para a gente com alegações do tipo: “ele está saindo muito para rua, fico com medo”, “ele chora muito quando fica dentro de casa, os vizinhos reclamam”, “vou me mudar e não posso levar ele comigo”, entre outras desculpas que envolvem medo de doenças, gravidez, alergias repentinas, culpam o cachorro, o marido, a avó, tem de tudo um pouco.

Sushi (esquerda) e Yumi (direita) são irmãos e foram adotados juntos.
Depois de algumas semanas foram devolvidos. Os dois ficaram muito tristes e mudaram
seu comportamento. De gatinhos super carinhosos e amáveis, eles passaram a ficar tímidos
com as pessoas. Agora já voltaram a ser como eram antes, e aguardam adoção responsável.

        Um gato pode viver mais de 14 anos, todos são avisados sobre isso no ato da adoção. Se você adota é para a vida toda, adoção não é empréstimo, não é passatempo, você não tem o direito de alterar a vida de um animal apenas por capricho. É claro que eles dão trabalho, pode ser muito ou pouco. E para todas as desculpas existe uma opção se você for um adotante responsável. Dificuldade todo mundo passa e isso deve ser pensado e planejado antes da adoção. Quando tiver um problema com o seu gato faça uma pergunta a si mesmo: “E se fosse o meu filho?”. Pronto, a resposta aparece e tudo que você precisa para resolver a situação vai ficar mais claro.
     Adote sempre pensando e incluindo o seu animal na sua vida. Adote sempre considerando o tempo de vida dele, a sua disponibilidade de tempo e dinheiro pra cuidar dele. Tenha sempre planejado o que fazer quando precisar viajar ou se ausentar. Ou seja, planeje sempre tudo porque mesmo que você viva sozinho e adote um gato, isso já te torna parte de uma família, que podem conviver e ter belas histórias juntos por muitos anos.

Teryaki (esquerda) foi adotado no início do ano. Seus adotantes já tinham uma gatinha resgatada, a Teresa (direita).
Agora ele foi devolvido ao Projeto Viva Gato, e "de brinde" veio a Teresa. Ela ainda está muito triste, e não quer sair
do quarto. Mas temos certeza que ela vai se recuperar. Os dois aguardam uma nova chance na casa do Viva Gato.

        Lembre-se, você adota uma vida e não um objeto. Você será o único responsável por ele. Ele irá te amar, te esperar e confiar em você. E não esqueça: eles nunca desistiriam de você.

         Pense nisso antes de adotar e cuide bem dos que precisam de você!!