Pages - Menu

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

AS VOLTINHAS DO SEU GATINHO

Gato dentro de casa é gato seguro e feliz
Todos conhecemos alguém que já perdeu um gatinho, seja envenenado, atropelado ou por maus tratos na rua. A maioria das pessoas ainda permite que seus gatos deem suas voltinhas pela vizinhança. Muitos consideram esta a única maneira de se criar gatos e defendem que privar estes animais dos seus passeios é crueldade. Acreditam não ser possível conter um gato dentro de casa, o que desencadeia riscos para o gato e é, além disso, um problema social, já que a maioria dos gatos que tem acesso a rua não são castrados.

Muita gente ainda acredita que os gatos são muito espertos e sabem se virar na rua. Eles são espertos, mas não como idealizamos. Gatos pulam janelas, escalam muros e, desta maneira, muitos acreditam que seja impossível mantê-los em casa. É muito comum, gatos invadirem casas de vizinhos e em muitas dessas casas ele não é bem-vindo. Nos seus passeios infelizmente ele pode encontrar um cachorro protegendo seu território ou mesmo um pedaço de carne envenenado. E é exatamente assim que um gatinho sai pra passear e não volta. É o famoso “meu gato fugiu” conhecido também pelo “ele não gostava de casa”.

Imagem original em: http://tinyurl.com/ljbx9bf

O problema de deixar seu gato a sua própria sorte é que muitas vezes ele não tem tanta sorte assim… A vida moderna faz com que os passeios fora de casa fiquem perigosos. Existem riscos que reduzem drasticamente a expectativa de vida destes felinos domésticos, uma vez que os gatos podem viver até 20 anos, e eles acabam morrendo com uma média de idade menor do que três anos. E quando não morrem, os “passeios” podem deixar sequelas. Se não bastassem os perigos que a cidade apresenta, existem doenças transmitidas entre os gatos, como PIF, FeLV e FIV.

É perfeitamente possível termos nossos gatos felizes, saudáveis e protegidos mantendo-os dentro de casa. O gato não vai ficar triste, deprimido por estar dentro de casa. Gatos são animais territorialistas, eles precisam de um território só seu, que pode ser um quarteirão, uma rua, uma sala ou uma poltrona. O importante para a saúde emocional deles é que eles tenham seu próprio espaço e que este seja seguro, limpo e arejado. Se o gato pudesse pedir uma coisa apenas para o seu dono, ele pediria segurança. Quem tem gato sabe bem o quanto eles se estressam com mudanças de ambiente, mudanças de rotina, tudo isso interfere diretamente na segurança dele, ele se sente vulnerável e isso sim agride a sua natureza. Mantê-lo dentro de casa, com os cuidados corretos é apenas mais uma prova de amor que você pode dar a ele. É irresponsabilidade deixar seu gato andar a solta por ai, comer o que encontrar e causar transtornos aos vizinhos. Cabe ao dono ter o bom senso de que somente ele é responsável pelo seu animal.

Arranhadores e prateleiras são ótimas opções para os gatos se divertirem dentro de casa, além dos brinquedos (Imagens retiradas da internet)

É claro que sabemos que conscientização e educação são a melhor opção sempre, e esse seria o mudo ideal, mas sabemos que não é simples assim. Mesmo uma medida mais imediata, como a castração, leva tempo para ser sentida, ter seus resultados e benefícios constatados frente aos animais abandonados. Mas a castração não garante que o gato fique em casa, ela promove apenas um motivo a menos para que ele saia. Para evitar suas saídas, é preciso telar as janelas e evitar que eles saiam para o quintal ou aumentar a altura dos muros colocando telas. Telas em apartamentos evitam quedas, outro grande perigo para os gatos e que é muitas vezes fatal. Você pode optar por não ter trabalho contratando serviço especializado ou por gastar pouco usando sua criatividade. Se você não está disposto a nenhuma das duas opções, considere não ter um gato. Hoje em dia existem muitas opções para que seu gatinho viva de forma plena e segura dentro de casa, só é preciso ter alguma disposição e boa vontade.

Nos links a seguir você pode se inspirar para telar o ambiente onde seu bichano vai viver feliz e seguro: